PORANDUBA 40 – O Impostor e o Trickster

capa-podcast3

Por Andriolli Costa

  • Clique AQUI para ouvir o programa, ou faça o DOWNLOAD clicando com o botão esquerdo do mouse e indo em “Salvar como”.
  • Gosta de ouvir em agregador de podcast? Assine nosso Feed

Bem-vindos à nossa Poranduba, o podcast do Colecionador de Sacis sobre as histórias fantásticas do folclore brasileiro. E no programa de hoje trazemos um ensaio reflexivo sobre um dos maiores males contemporâneos, a Síndrome do Impostor, e como podemos encontrar no Modernismo brasileiro e no arquétipo do Trickster enganador soluções para responder a esse sentimento de insegurança. Ouça Poranduba, a meia hora de folclore que vai encantar o seu dia.

Na trilha desse programa você escuta Bruno Camurati com Impostor e Ney Matogrosso com Poema.

Compre nossas camisetas na Loja do Colecionador de Sacis

Apresentação e edição: Andriolli Costa.
Vinheta de Abertura: 
Danilo Vieira Battistini, do podcast O Contador de Histórias.
Logo do podcast: 
Mauro Adriano Muller – Portfólio.

– Canto de abertura e encerramento do povo Ashaninka

Poranduba agora faz parte da rede Audiocosmo de Podcasts, do grupo Homo Literatus! Confira os outros programas da rede. Não deixe de olhar também os participantes da rede PodcasTchê, só com programas feitos no RS.

ESTE PODCAST É PRODUZIDO GRAÇAS AOS APOIADORES DO PADRIM E DO PicPAy. APOIE VOCÊ TAMBÉM! 

Agradecemos aos apoiadores: Ana Lucia Merege, Carolina Mancini, Daniel Burle, Daniel Freire, Daniel Medina, Daniel Renatini, Débora Dalmolin, Diane Macagnan, Douglas Rainho, Euclides Vega, Felipe Raphael, Geoci Silva, Gustavo Wendorff, Ian Fraser, Koe, Maico Wolfart, Marcelo Silveira, Maurício Xavier, Maycon Torres, Nilda Alcarinque, Rafael Joca Cardoso, Ricardo Santos, Roberto Silva.

Síndrome-do-Impostor

Redes sociais:

Comentado no episódio:

Anúncios

7 Respostas para “PORANDUBA 40 – O Impostor e o Trickster

  1. Precisava ouvir isso hoje. Vivo com essa síndrome. E foi só agora, com o que você comentou sobre o fingimento ao entrar na Academia, que me dei conta de que exorcizei um pouco meus demônios ao escrever O Castelo das Águias: entrar no esquema dos professores mais antigos é o que minha jovem Mestra de Sagas faz para ser aceita na Escola de Magia. E depois… ela faz o que quer.

    Se olhar para trás, provavelmente vou descobrir que fiz isso também, em meia de uma ocasião. E continuo fazendo. De que outro jeito equilibrar tantos ofícios e tantas paixões? De que outro jeito continuar vendo duendes… ou sacis? 😉

    Curtir

    • Bah, coisa boa, Ana! Com certeza. Agora especialmente que tentam proibir leituras, discussões e até palavras em sala de aula, é contornando por meio do folclore que eu espalho a mensagem sem que eles saibam. Nada como uma sacizada na encolha para acabar com as falsas certezas dos poderosos 😉

      Curtir

  2. Andriolli, tudo bem?
    Adorei o episódio.
    Nunca fui um consumidor mto frequente de podcasts, mas nos últimos meses parece que o hábito pegou.
    Tenho gostado muito dos teus. Muito mesmo. Este em especial. Gostei muito da sua linha de reflexão e dos elementos que você foi agregando no caminho para chegar nas conclusões que chegou. Pra mim, outras ‘fichas’ foram caindo também. Se está pensando em seguir essa linha, por favor continue hehe.
    Forte abraço.

    Ahhh, se vale a dica, não foi muito fácil achar onde mandar esse retorno. Fui ao site do Poranduba (https://www.megafono.host/podcast/poranduba) onde não encontrei onde comentar, passei pro teu face e aí sim encontre esse canal do ‘colecionador de sacis’

    Curtir

  3. Andriolli, tudo bem?
    Adorei o episódio.
    Nunca fui um consumidor mto frequente de podcasts, mas nos últimos meses parece que o hábito pegou.
    Tenho gostado muito dos teus. Muito mesmo. Este em especial. Gostei muito da sua linha de reflexão e dos elementos que você foi agregando no caminho para chegar nas conclusões que chegou. Pra mim, outras ‘fichas’ foram caindo também. Se está pensando em seguir essa linha, por favor continue hehe.
    Forte abraço.

    Ahhh, se vale a dica, não foi muito fácil achar onde mandar esse retorno. Fui ao site do Poranduba (https://www.megafono.host/podcast/poranduba) onde não encontrei onde comentar, passei pro teu face e aí sim encontre esse canal do ‘colecionador de sacis’

    Curtir

    • Oi, Nik! Muito obrigado, fico super feliz que esteja gostando e desse episódio que para mim foi tão especial. Eu sempre achei que o colecionador de sacis era o site principal, haha, por isso não imaginei que o Megafono não levaria a ele. Vou passar a colocar o link para o post no Colecionador no Megafono para facilitar. Obrigado pela dica!

      Curtir

  4. Fui surpreendido com este episódio! Nunca esperei ver esta discussão em um podcast sobre folcórico. Se bem que, pensando melhor, faz todo sentido! O sentimento de ser impostor serve para nos lembrar que a experiência humana ela não é individual: o ser falante, habitado pela linguagem, fala a partir do outro e para o outro. Ele próprio pode ser outro de si. Quando falamos, quem fala? E o folclore não deixa de lembrar esse caráter coletivo e de alteridade.

    Parabéns pelo episódio!

    Curtir

  5. Pingback: Ouça a trilha sonora de Poranduba! (Episódios 20-40) | Colecionador de Sacis·

Deixe uma resposta para MAYCON R S TORRES Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s