José Elloy e Marcello Tupynambá – Sacy Pererê

marcelo tupinambá cenamuda 22101946

Marcelo Tupinmbá (1889-1953)

Esta canção, sob o título de Mythologia Brasileira – Sacy Pererê (lenda sertaneja, foi publicada nos classificados do jornal O Estado de S.Paulo em 02/03/1917. Os versos são de José Elloy (Arlindo Leal) e a música de Marcello Tupynambá. Ao final, um endereço indicava onde o interessado poderia adquirir seus exemplares. Confira abaixo:

I

Lá no alto do sertão,
Quando ronca a trovoada
Ninguém passa num valão
Que fica pra lá da estrada.
Ninguém passa, não, porquê
Lá é a toca do malvado
Sacy Pererê

Que anda sempre asanhado
Fazendo pirraça
Sustando quem passa,
E sempre a dizê:
Sacy-Pererê (bis).

II

O sacy não é brinquedo
Na noite de cerração
Mete susto, mete medo,
A quarqué um valentão.
Sempre, sempre, ouvi dizê
(Por medroso não me tome)
Sacy Pererê,
É pió que lobisomem,
Fazendo pirraça,
Sustando quem passa,
E sempre a dizê:
Sacy-Pererê (bis).

III

Dizem todos que o Sacy
É mais feio que o tinhoso
Corre mais do que quati
É caoio e defeituoso…
Toda a gente assim o crê
E diz logo, escojurando,
Sacy Pererê.

É uma arma que tá penando
Fazendo pirraça
Sustando quem passa,
E sempre a dizê:
Sacy Pererê (bis);

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s