[Poesia] O Sacy – Hylario Correa (1928)

Publicado no Correio de Sorocaba em 02/09/1928

Noite cerrada. A matta está silente
Em casa todos dormem, menos eu
Desesperado chamo por Morpheu
Que não vem, nem me attende, o inclemente.
Eis que o silêncio esvae-se de repente
Escuto no terreiro um escarcéu
E põem-se os cães a uivar lugubremente

Fico curioso: – O que é qu’aconteceu?
Salto da cama, calço numa chinella,
Vou à cozinha; então abro a janella,
e vejo… Oh! Deus! Que coisa feia eu vi!
Brejeiro, assobiando: Fi! Fi! Fi!
Firmando num pé só sobre a cancella,
Estava o vulto horrendo dum Sacy…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s